As cinco chagas de Cristo, Mujica, Jason e Sylla (1-5)

No primeiro jogo da jornada 24, o Arouca deslocou-se a Trás os Montes para defrontar o Chaves. O resultado foi bastante largo: 1-5 para os Lobos de Arouca. Este 1-5 pode não indicá-lo, mas a partida foi bastante equilibrada, caindo para o lado arouquense num período de apenas 13 minutos.

O encontro iniciou-se de forma bem tranquila, sem nenhuma das equipas a conseguir aproximar-se da área adversária e colocar-se em posição de remate. Foi preciso esperar até perto do quarto de hora para surgir o primeiro golo. A espera valeu a pena, já que Raphael Guzzo marcou um golo monumental! Na sequência de um canto, o médio flaviense atirou forte à entrada da área. A bola não chegou a tocar o chão, o que torna o remate mais belo e de difícil execução. Após análise do VAR, o golo foi confirmado.

A resposta arouquense surgiu no seu segundo remate do jogo. Um mau alívio de Hugo Souza num canto fez com que a bola sobrasse para Cristo. Com o guardião do Chaves ainda a erguer-se, o avançado espanhol colocou com força a bola no fundo da baliza, fazendo o 1-1.

Depois de um remate para defesa apertada de Arruabarrena, o Arouca voltou à carga e ainda antes do intervalo fez o 1-2. Tiago Esgaio, com régua e esquadro, fez lembrar Andrea Pirlo e desde o seu meio campo colocou a bola em Mujica junto à entrada da área adversária. Na cara de Hugo Souza, o melhor marcador do Arouca fez o que é seu hábito: marcou golo.

Se a equipa de terras de Santa Mafalda tinha terminado a primeira parte em ritmo alto, o mesmo sucedeu no início da segunda. O bloco defensivo do Chaves apresentou-se demasiado subido, não conseguindo dar resposta ao ataque à profundidade efetuado pelos comandados de Daniel Sousa. Nos primeiros seis minutos do segundo tempo, o Arouca matou por completo a partida.  Ao minuto 46, o terceiro espanhol do ataque também colocou o seu nome na lista de marcadores. Assistido por Cristo, Jason foi colocado na cara do guarda-redes adversário, ultrapassando-o com classe e um pouco de sorte à mistura. Sem oposição, só teve de encostar.

Apenas dois minutos depois, o segundo golo de Mujica. Montero, desde o meio campo arouquense, assistiu o seu colega espanhol. Novamente no um para um com o guarda-redes brasileiro do Chaves, Rafa Mujica não tremeu.

O último golo surgiria ao minuto 53, marcado pelo “quarto elemento da armada espanhola”, como apelidou Daniel Sousa. Morlaye Sylla, a passe de Cristo, atirou forte e colocado para o canto superior esquerdo. Hugo Souza nada poderia fazer.

Com este 1-5, o Arouca poupou alguns jogadores, tendo em conta a próxima partida frente ao Sporting. O Chaves refrescou algumas peças e, desde o quinto golo arouquense até ao final da partida, a equipa da casa dominou por completo. Não só dominou como, das poucas oportunidades que criou, levou imenso perigo nas mesmas: Benny atirou com estrondo à barra ao minuto 63. Dez minutos depois, João Correia aproveitou um erro de Hamache, sentou Montero e, com Arruabarrena pela frente, atirou ao poste.

À entrada do último quarto de hora final, o guardião arouquense evitou ainda novo golo de Guzzo, desviando a bola para canto, e também o golo a Vasco Fernandes, que conseguiu, na pequena área, cabecear para defesa apertadíssima. Hamache ainda ajudou, ao evitar em cima da linha que a bola entrasse. Com esta vitória, o Arouca mantém-se confortavelmente em sétimo lugar, com 34 pontos. Já o Chaves está em penúltimo, com apenas 18 pontos, um a mais que o Vizela, último classificado. No próximo domingo, dia 10 de Março, o Arouca recebe o Sporting, em jogo que se iniciará às seis da tarde.

Suplentes Chaves:

Rodrigo (GR), Sylla, Nogueira, S.Vitória, Carraça (DF), Morim, R.Ribeiro, Pinho (MD), P.Victor (AV)

Substituições Chaves:

27 – Sai B.Rodrigues, entra S.Vitória

46 – Sai Sanca, entra R.Ribeiro

60 – Saem Kelechi e Jô, entram Morim e P.Victor

87 – Sai Guzzo, entra Carraça

Suplentes Arouca:

Thiago (GR), Milovanov, Hamache, Galovic (DF), Kouassi, Busquets (MD), Lawal, Trezza, Puche (AV)

Substituições Arouca:

57 – Saem D.Simão e Weverson, entram Kouassi e Hamache

69 – Saem Cristo e Jason, entram Lawal e Trezza

73 – Sai Bambu, entra Galovic

Ficaram de fora Vitinho, Matías (lesão), Marozau, Valido, B.Michel, Moses, P.Moreira (opção)

Arbitragem:

Iancu Vasilica, C.Martins, F.Silva e R.Moreira. NO VAR, André Narciso e V.Marques

Disciplina Chaves:

Cartão amarelo a J.Pius (38)

Disciplina Arouca:

Cartão amarelo a Sylla (42) e Cristo (44)

Conferência de imprensa:

Moreno (Chaves) – “Estamos todos com as emoções a quente e percebo a indignação dos adeptos. Não quero falar a quente e quero apenas dizer que o treinador Moreno nunca vai ser um problema. Não estou agarrado a nada e quero fazer parte da solução. Vamos ver o que é melhor para o Chaves.”

Daniel Sousa (Arouca) – “Foi um jogo onde estivemos muito eficazes, acima de tudo na segunda parte. Não entrámos muito bem e sabemos que tivemos erros que não podemos cometer, mas depois acertámos e fomos eficazes. O que está a acontecer está a ser bom, mas não o que fizemos nos primeiros 15 minutos, que isso pode sair caro.”

Equipas iniciais do encontro

Foto: FC Arouca

Texto: Simão Duarte

sobre o autor
Simão Duarte
Discurso Direto
Partilhe este artigo
Relacionados
Newsletter

Fique Sempre Informado!

Subscreva a nossa newsletter e receba notificações de novas publicações.

O envio da nossa newsletter é semanal.
Garantimos que nunca enviaremos publicidade ou spam para o seu e-mail.
Pode desinscrever-se a qualquer momento através do link de desinscrição na parte inferior de cada e-mail.

Veja também