Arouca tropeça na visita ao Casa Pia (1-0)

A equipa adversária criou inúmeras dificuldades que o Arouca não conseguiu superar

Em visita ao Estádio de Rio Maior, o Arouca foi derrotado pelo Casa Pia pela margem mínima (1-0). O jogo fica marcado pelas dificuldades criadas pela equipa da casa, às quais o Arouca nunca conseguiu responder com a eficácia necessária.

Daniel Sousa não mexeu na equipa que, na semana passada, venceu o Porto. O Casa Pia apresentou-se com Gonçalo Santos como o seu novo treinador, o terceiro esta época.

Do início ao fim, as duas equipas mostraram sempre claramente quais eram as suas estratégias. O Arouca mostrou a imagem habitual, equipa dominante, com as linhas subidas e a procurar sempre oportunidades de finalização. O Casa Pia, muito graças à posição na tabela, jogou mais fechado que o habitual e quase sempre na busca de contra-ataques.

Os Lobos entraram bem, com Cristo a testar os reflexos de Ricardo Batista ao minuto 8. O espanhol aproveitou um mau alívio da defesa adversária, rematando para a primeira de várias defesas do guardião casapiano. Os da casa tiveram a sua melhor oportunidade ao minuto 17. Em contra-ataque, Lelo enviou uma bola longa para a entrada da área. O desvio de Bambu para evitar que a bola ficasse à mercê de Clayton acabou nos pés de Nuno Moreira, que obrigou a grande defesa de Arruabarrena. Quatro minutos depois, o Casa Pia viria a marcar, mas Rúben Lameiras foi apanhado em fora de jogo.

Após estes dois sustos, o Arouca retomou o domínio da partida, não conseguindo apenas concretizá-lo em oportunidades. A única de relevo até ao intervalo pertenceu a Sylla, que viu Ricardo Batista incrivelmente nega-la.

No início da segunda parte, um presságio do que estaria para vir: Clayton marcou, contudo foi apanhado em fora de jogo. O Arouca fazia tudo bem, desde a circulação da bola ao posicionamento em campo, contudo a defesa da equipa da casa fechou as portas da baliza, não permitindo a criação de oportunidades. Por vezes, a defesa é o melhor ataque e, goste-se ou não, o Casa Pia obteve os frutos disso. Minuto 74: bola em profundidade para Pablo Roberto no lado direito da defesa arouquense. Desde o início, Bambu acompanhou o avançado brasileiro. Matías Rocha, recém entrado na partida (para o lugar de Montero, que saiu com fadiga), tentou intervir no lance, contudo em vez de impedir a corrida de Pablo, acabou por acertar em Bambu. Com os dois centrais do Arouca no chão,  o médio casapiano assistiu Clayton que, sem qualquer dificuldade, atirou para o fundo das redes com o pé direito. Até ao fim, tirando uma oportunidade do Casa Pia ao minuto 80, o Arouca de tudo fez para reverter o resultado. Jason, precisamente ao minuto 80, apareceu nas costas da defesa, mas Ricardo Batista foi enorme, defendendo com as pernas. Em cima do minuto 90, Cristo atirou à trave, e a um minuto do fim, Mujica, em posição privilegiada, rematou por cima.

Com este resultado, o Casa Pia voltou às vitórias, algo que não conseguia há cinco jogos. Já o Arouca vê interrompido o seu ciclo de quatro vitórias seguidas, continuando em sétimo lugar.

Suplentes Casa Pia:

L.Paes(GR), Larrazabal, J.Nunes (DF), Segovia, Pablo.R, R.Brito, S.Justo (MD), A.Lacximicant, Y.Soma (AT)

Suplentes Arouca:

Valido (GR), M.Rocha, B.Milovanov, Hamache (DF), P.Moreira, U.Busquets (MD), Puche, Trezza, Y.Lawal (AT)

Ficaram de fora Quaresma, Kouassi e Vitinho (lesão), Thiago, Galovic, B.Michel, Marozau (opção)

Substituições Casa Pia:

58 – Saem R.Lameiras e B.Mukendi, entram Pablo.R e R.Brito

69 – Saem A.Geraldes e N.Moreira, entram Larrazabal e Y.Soma

89 – Sai Varela, entra J.Nunes

Substituições Arouca:

72 – Sai Montero, entra M.Rocha

77 – Sai David.S, entra U.Busquets

82 – Saem Weverson e Sylla, entram Hamache e Lawal

Arbitragem:

José Bessa, T.Costa, N.Manso e J.Pedro Afonso. No VAR, Manuel Mota e Jorge.F

Disciplina Casa Pia:

Sem cartões

Disciplina Arouca:

Cartão amarelo a Montero (64) e David.S (71)

Conferência de imprensa:

Gonçalo Santos (Casa Pia) – “A nossa estratégia passava muito por, em alguns momentos, sermos muito pressionantes. Sabíamos que o Arouca tinha muita qualidade. Em alguns momentos da primeira parte, conseguimos fazê-los sentirem-se desconfortáveis. Tivemos menos bola e, quando a ganhamos, temos menos oxigénio. Depois vem a crença, o querer muito mudar esta situação e foi isso que senti esta semana.”

Daniel Sousa (Arouca) – “Jogámos contra uma equipa que estava em plano baixo e essa organização defensiva do adversário causou-nos problemas na organização. O homem do jogo foi o guarda-redes e isso quer dizer muito. Ainda assim, conseguimos criar várias situações de finalização, mas não conseguimos concretizar.”

Foto: FCArouca

Simão Duarte

sobre o autor
Simão Duarte
Discurso Direto
Partilhe este artigo
Relacionados
Newsletter

Fique Sempre Informado!

Subscreva a nossa newsletter e receba notificações de novas publicações.

O envio da nossa newsletter é semanal.
Garantimos que nunca enviaremos publicidade ou spam para o seu e-mail.
Pode desinscrever-se a qualquer momento através do link de desinscrição na parte inferior de cada e-mail.

Veja também