Daniel Sousa “Este resultado não se ajusta àquilo que aconteceu”

A derrota contra o Benfica foi a primeira desde que Daniel Sousa chegou ao leme dos Lobos de Arouca. Ao contrário do que se poderia esperar, já que é costume as equipas ditas “pequenas” e inferiores em qualidade ao Benfica jogarem recuadas, o Arouca entrou em campo com alma e muito fiel à ideia habitual de jogo: pressão alta para dificultar a saída de bola do Benfica.

Na conferência de imprensa pós-jogo, estes foram os temas abordados por Daniel Sousa em resposta às perguntas dos jornalistas.

– Forma de jogar

“Nós identificamos ali no Benfica, aquela primeira linha de pressão, em que nós conseguiríamos e acabamos por conseguir desbloquear aquela primeira linha de pressão, quer com o movimento do (David) Simão, quer do Kouassi, alternado e com alguma mobilidade ali para atrair os dois médios deles. E depois, obviamente, com o movimento do Cristo, do Jason, do Sylla, alternados entre aparecer nas costas dos médios e atacar a profundidade e acabamos por conseguir encontrar. E foi nesses momentos que conseguimos sair com alguma, não digo facilidade, mas conseguimos sair da pressão do Benfica e construir algumas jogadas que poderiam ter outra eficácia.”

– Justiça do resultado

“Definitivamente acho que este resultado não se ajusta àquilo que aconteceu. Na primeira parte estivemos claramente melhor, não melhor que o Benfica, mas em relação ao nosso jogo total, ou seja, aos 90 minutos, estivemos melhor na primeira parte que na segunda e pela criação de oportunidade que tivemos, pela qualidade de jogo que pusemos em campo em vários momentos do jogo, acho que o resultado não é ajustado. “

– O peso de não ter empatado a partida no final da primeira parte

“Quando estava 0-1, tivemos ali algumas oportunidades claras de golo e se fizéssemos o golo, obviamente que o jogo teria outra história. Isso funciona depois em termos emocionais para nós, funciona em termos emocionais para o adversário, mas como disse no início, nós não íamos abdicar das nossas ideias, a nossa forma de jogar, e foi isso que fizemos. Olhamos nos olhos o Benfica, entramos a apalpar o terreno, a ver como é que se encaixam as equipas, mas a partir dos 10 minutos mais ou menos, começamos a assentar o nosso jogo e a ter boas situações de golo.”

O trabalho que está por vir

“Não se trata de assimilar a 100%, trata-se sobretudo de ir trabalhando e ir melhorando, porque há sempre coisas a trabalhar. Nós ainda temos muito trabalho pela frente, temos objetivos que estão bem definidos. Os objetivos é com as vitórias que se conseguem, mas entre esse tempo, há muito trabalho a fazer, tático, individual também, e isso é o que nós vamos continuar a procurar.”

O Arouca volta a jogar dia 10 de janeiro, quarta-feira, às 20 horas  para a Taça de Portugal, visitando o Vizela.

Foto: Sofia Brandão

 

sobre o autor
Simão Duarte
Discurso Direto
Partilhe este artigo
Relacionados
Newsletter

Fique Sempre Informado!

Subscreva a nossa newsletter e receba notificações de novas publicações.

O envio da nossa newsletter é semanal.
Garantimos que nunca enviaremos publicidade ou spam para o seu e-mail.
Pode desinscrever-se a qualquer momento através do link de desinscrição na parte inferior de cada e-mail.

Veja também