Um jogo para os livros de História

Estreia para a Liga com 7 golos e uma expulsão, num jogo impróprio para cardíacos

A estreia para a Liga do FC Arouca não poderia ter sido mais eletrizante. O Arouca recebeu e venceu a equipa do Estoril, num jogo frenético, com sete golos no total, uma expulsão e muitos momentos animados. Os primeiros 15 minutos do jogo foram totalmente dominados pelo adversário. O Estoril criava situações de perigo, tendo marcado aos 10 minutos, num belo golo de livre de Holsgrove. No minuto seguinte, Guitane parte a loiça, driblando pela direita o meio campo e a defesa arouquense, e assistiu Heriberto Tavares, no primeiro dos dois golos anulados à equipa treinada por Álvaro Pacheco.

Depois do golo anulado, o Arouca respondeu ao Estoril, retribuindo a pressão na saída de jogo. Aos 19, David Simão recupera um mau passe da defesa canarinha e assiste Mujica, que à entrada da área remata colocado, empatando o jogo. Com 2 golos em 20 minutos de jogo, os ânimos foram aquecendo e ambas as equipas foram disputando os duelos com maior intensidade. Até ao final da primeira parte, o Estoril foi pressionando o Arouca, exercendo pressão sob o portador da bola, já o Arouca ia mantendo fluidez no jogo, passando a bola sempre que sentia pressão. Depois do golo anulado e do sofrido, o Estoril ressente-se um pouco, tendo dificuldades em manter a posse de bola, já o Arouca foi criando perigo. Contudo, aos 36 minutos, Kouassi é expulso, um momento que faz parte das várias condicionantes presentes neste jogo.

Na segunda parte, como seria de esperar, o Estoril tenta aproveitar a vantagem numérica para criar oportunidades, o que acaba por se suceder aos 49 minutos, com golo de João Marques, e aos 54, por Cassiano, no segundo golo anulado por fora de jogo ao Estoril. Mais uma vez, o Arouca reage de imediato, já que um minuto depois do golo anulado, David Simão, de livre, assiste Cristo, que à entrada da área faz o golo do empate. Aos 59, o Arouca faz as primeiras substituições, que resultam numa alteração tática. Esgaio sobe no terreno em momento ofensivo, juntando-se ao meio campo, jogando o Arouca num 4-3-2, já em momento defensivo Esgaio regressa à defesa, passando para um 5-3-1. O Estoril tentava a todo o custo apostar no jogo pelas alas, subindo os laterais para junto dos extremos. Isso deu frutos, já que é numa bola cruzada por Volnei, lateral direito do Estoril, que eles chegam ao 2-3. Mas mais uma vez se viu resiliência da parte arouquense, pois aos 72, chega o 3-3, num autogolo. Com ele veio também o ânimo nas bancadas, que impulsionaram a equipa a marcar já no fim o 4-3 final, num jogo impróprio para cardíacos.

Suplentes Arouca: Thiago (GR), B.Milovanov, R.Fernandes e Weverson (DF), O.Busquets, P.Santos (MD), A.Bukia, Y.Lawal e M.Puche (AT)

Ficaram de fora Vitinho, P.Moreira e B.Michel por lesão. Matías Rocha aguarda pela inscrição

Suplentes Estoril: M.Carné (GR), R.Parra, K.Koindredi, E.Cabaco (DF), A.Soares, R.Gomes(MD), J.Carlos, R.Martins, A.Marqués(AT)

Substituições Arouca:

60 – Sai Jason, entra Puche; sai Sylla, entra Busquets; sai Mujica, entra R.Fernandes

76 – Sai Quaresma, entra Weverson

81 – Sai Cristo, entra P.Santos

Substituições Estoril:

65 – Sai H.Tavares, entra R.Gomes; sai Cassiano, entra A.Marqués

79 – Sai Pavlic, entra A.Soares

83 – Sai E.Mangala, entra E.Cabaco

Arbitragem:

Hélder Carvalho, Francisco Pereira e Diogo Pereira. Fábio Loureiro foi o 4º árbitro. No VAR, Tiago Martins e Hugo Ribeiro.

Disciplina Arouca:

Cartão amarelo a T.Esgaio (4), Sylla (9), Kouassi (21) e P.Santos (90+7); vermelho direto a Kouassi (36)

Disciplina Estoril:

Cartão amarelo a J.Holsgrove (40) e R.Gomes (90+10)

Conferência de imprensa

Daniel Ramos (Arouca) – “É um daqueles jogos que ficam na retina para sempre. Primeiro, porque entrámos a ganhar em três competições diferentes. Depois, por tudo o que se passou no jogo, há emoções altíssimas, termos sempre respondido às adversidades do jogo. Só tenho a dizer que foi fantástica a forma como a equipa respondeu.”

Álvaro Pacheco (Estoril) – “É um jogo inglório para a minha equipa. O Arouca é uma excelente equipa, com um grande treinador, que, na minha opinião, tem dado sinais de enorme crescimento. Faltou-se ter capacidade mental para nos manter no jogo.”

SIMÃO DUARTE

Foto: Pedro Fontes

sobre o autor
Simão Duarte
Discurso Direto
Partilhe este artigo
Relacionados
Newsletter

Fique Sempre Informado!

Subscreva a nossa newsletter e receba notificações de novas publicações.

O envio da nossa newsletter é semanal.
Garantimos que nunca enviaremos publicidade ou spam para o seu e-mail.
Pode desinscrever-se a qualquer momento através do link de desinscrição na parte inferior de cada e-mail.

Veja também