Vítor Carvalho e dirigentes do PSD visitaram Alvarenga

Hoje a Comissão Política do PSD Arouca enviou à nossa redação um comunicado que transcrevemos na íntegra. “Freguesia com o desenvolvimento hipotecado face à ausência de respostas dos poderes públicos”.

“Uma Comissão constituída por autarcas e dirigentes do Partido Social Democrata de Arouca visitou, no passado sábado, a freguesia de Alvarenga. Dos contactos com a população e com os responsáveis das instituições locais ficou um conjunto de evidências sobre a ausência de respostas aos inúmeros problemas da freguesia, cuja responsabilidade é repartida entre o poder local socialista (Junta e Câmara) e o governo do país.

Uma das situações analisadas foi a mau estado da EN 225 – principal ligação entre Castro Daire, no Distrito de Viseu e Arouca, que é também a única via complementar e alternativa à estrada EN321, que atravessa o maciço central da Serra de Montemuro. Tal situação é não só fruto de uma irresponsabilidade do estado central, como da incapacidade do poder local em afirmar estas justa reivindicação.

Na mesma linha da ineficácia do estado central está o sucessivo adiamento do quadro jurídico (no âmbito do PRR) que permita o apoio financeiro às IPSS, sendo que no caso de Alvarenga visa a construção de uma valência de cuidados continuados. Na mesma linha foi defendido que o município deveria ter um gabinete de apoio a estas instituições, sendo também crucial um novo regulamento de apoio às associações, que atualize os valores de referência, dado que os que existem estão ultrapassados pelos anos de vigência do mesmo.

A freguesia luta ainda por obras do primeiro patamar de desenvolvimento, desde as vias de comunicação, ao abastecimento de água (como foi lembrado é lamentável que uma terra com tantas nascentes pague das águas mais caras do país) e saneamento, sobretudo nos lugares a nascente da freguesia.

No campo desportivo esta comunidade deixou um profundo lamento sobre o que aconteceu ao seu clube de futebol, tendo sido defendido a importância de tudo ser feito de forma a salvaguardar e rentabilizar o investimento que foi feito no campo Reinaldo Noronha, que é propriedade da Junta de Freguesia. Na mesma linha de pensamento crítico está o que foi propagandeado pela Câmara sobre a Casa da Picota –  um projeto virtual que aparece e desaparece, dependendo da proximidade do ano de eleições.

A deficiente rede de transportes públicos foi outro dos assuntos abordados, tal como o fim do posto dos correios, assim como as obras de “Santa Engrácia” do Centro Cultural que, apesar dos milhares de euros gastos, tarda a ser concluída com o grau de qualidade que é exigido a um equipamento coletivo. 

A má gestão dos terrenos da zona industrial (usados para outros fins aos que não estavam previstos no regulamento, a que acresce a muito propalada fábrica de cerveja anunciada com pompa e circunstância, em 2016, e que nunca foi construída), foi outro dos pontos assinalados, sendo apontado como mais um exemplo revelador de uma autarquia incapaz de acautelar o interesse público.

Face a este quadro, os dirigentes e autarcas do PSD mostram a sua solidariedade com os Alvarenguenses, face às suas justas reivindicações, prometendo nos diferentes órgãos autárquicos defender os seus legítimos interesses.”

sobre o autor
Ana Isabel Castro
Discurso Direto
Partilhe este artigo
Relacionados
Newsletter

Fique Sempre Informado!

Subscreva a nossa newsletter e receba notificações de novas publicações.

O envio da nossa newsletter é semanal.
Garantimos que nunca enviaremos publicidade ou spam para o seu e-mail.
Pode desinscrever-se a qualquer momento através do link de desinscrição na parte inferior de cada e-mail.

Veja também