Um almoço auspicioso

Por: Vasco Portugal -Núcleo da IL em Arouca

Num dia em que a imprensa, o governo e o país estavam a digerir o desfecho surpreendente de mais um dos inúmeros casos e escândalos com que este governo nos tem brindado, surge, em nota de rodapé, uma notícia que, pela sua natureza, me obrigou a reler e, logo em seguida, a procurar outra fonte para ter a certeza de que não havia um engano: os líderes do PSD e da IL sentaram-se à mesa para almoçar e discutir o futuro do país.

Noutras latitudes, este encontro seria visto com normalidade uma vez que quem está na oposição deve ambicionar chegar ao poder e, para isso, deve apresentar propostas e dialogar com as outras forças moderadas da sua área política.

É conhecida a minha filiação partidária pelo que escuso de elaborar aqui sobre aquele que considero que seria o melhor projeto de governo para o país. O povo é soberano e a seu tempo reconhecerá o mérito a quem o tem.

O que me apraz aqui destacar é o enorme contraste entre um governo que se comporta como uma turma insurreta de uma escola problemática e dois partidos que escolhem colocar as suas divergências, que são muitas, de lado e dialogar no sentido de identificar as ideias e planos de ação comuns dos seus projetos. Ao nível partidário, deve ser destacado também o contraste entre dois partidos que escolheram o diálogo construtivo sabendo que, muito provavelmente, terão de se entender quando o povo os convocar para governar e outros que preferem a oposição trauliteira e demagoga, muito apoiada por quem, para se manter no poder, não se cansa de agitar o fantasma da eventual chegada ao poder de forças anti democráticas só porque isso lhe traz bons resultados eleitorais. 

Se questionado sobre se os atores “em cena” são os que idealizaria em teoria, diria que não. Aliás, raramente o são. Mas há algumas realidades que a experiência de vida nos ensina: não existem homens providenciais nem tão pouco “D. Sebastiões” ao virar da esquina. Os desafios e as dificuldades das batalhas fazem do mais comum dos homens um líder, queira ele enfrentá-los com determinação, coragem e, muito importante, saiba ouvir quem o rodeia e interpretar a vontade daqueles que pretende liderar. Por fim, importa recordar um ponto mais relevante do que os anteriores, os projetos são mais importantes do que os seus protagonistas.

sobre o autor
Ana Isabel Castro
Discurso Direto
Partilhe este artigo
Relacionados
Newsletter

Fique Sempre Informado!

Subscreva a nossa newsletter e receba notificações de novas publicações.

O envio da nossa newsletter é semanal.
Garantimos que nunca enviaremos publicidade ou spam para o seu e-mail.
Pode desinscrever-se a qualquer momento através do link de desinscrição na parte inferior de cada e-mail.

Veja também